O que Ouviu os Meus Versos

Print Friendly, PDF & Email

O que Ouviu os Meus Versos (Alberto Caeiro)

O que ouviu os meus versos disse-me: “Que tem isso de novo?
Todos sabem que unia flor é uma flor e uma árvore é uma árvore.
Mas eu respondi, nem todos, (?………. )
Porque todos amam as flores por serem belas, e eu sou diferente
E todos amam as árvores por serem verdes e darem sombra, mas eu não.
Eu amo as flores por serem flores, diretamente.
Eu amo as árvores por serem árvores, sem o meu pensamento.

Publicações relacionadas

A Bruxa A Bruxa (Carlos Drummond de Andrade) Nesta cidade do Rio, de dois milhões d...
Yo voy soñando caminos Yo voy soñando caminos (Antonio Machado) Yo voy soñando caminos de la tarde...
Sinfonias do ocaso Sinfonias do ocaso (Augusto dos Anjos) Musselinosas como brumas diurnas ...
Bandônion Bandônion (Mario Benedetti) Do livro "Inventá...

Deixe uma resposta