Os antigos invocavam as Musas

Print Friendly, PDF & Email

Os antigos invocavam as Musas (Álvaro de Campos)

Os antigos invocavam as Musas.
Nós invocamo-nos a nós mesmos.
Não sei se as musas apareciam –
Seria sem dúvida conforme o invocado e a invocação. –
Mas sei que nós não aparecemos.
Quantas vezes me tenho debruçado
Sobre o poço que me suponho
E balido “Ah!” para ouvir um eco,
E não tenho ouvido mais que o visto –
O vago alvor escuro com que a água resplandece
Lá na inutilidade do fundo…
Nenhum eco para mim…
Só vagamente uma cara,
Que deve ser a minha, por não poder ser de outro.
É uma coisa quase invisível,
Exceto como luminosamente vejo
Lá no fundo…
No silêncio e na luz falsa do fundo…

Que Musa!…

Publicações relacionadas

Ai daqueles Ai daqueles (Paulo Leminski) Ai daqueles Que se amaram sem nenhuma briga Aq...
Tietê Tietê (Mário de Andrade) Era uma vez um rio... Porém os Borbas-Gatos dos ult...
Passei ontem a noite junto del... Passei ontem a noite junto dela (Álvares de Azevedo) Passei ontem a noit...
Adolescente Adolescente (Vladmir Maiakowski) A juventude tem mil ocupações. Estudamos gr...

Deixe uma resposta