Poemas Neoconcretos I

Print Friendly, PDF & Email

Poemas Neoconcretos I – um fragmento: “Velocidades” (Ferreira Gullar)

mar azul

mar azul marco azul

mar azul marco azul barco azul

mar azul marco azul barco azul arco azul

mar azul marco azul barco azul arco azul ar azul

Publicações relacionadas

Árvores do Alentejo Árvores do Alentejo (Florbela Espanca) Horas mortas... curvadas aos pés do Mo...
O que diz a morte O que diz a morte (Antero de Quental) Deixai-os vir a mim, os que lidaram; D...
Momentos ao natural Momentos ao natural (Walt Whitman) Momentos ao natural, quando vocês vêm a m...
Retrato Retrato (Antonio Machado) Mi infancia son recuerdos de un patio de Sevilla,...

Deixe uma resposta