As cousas do mundo

Print Friendly, PDF & Email

As cousas do mundo (Gregório de Matos)

Neste mundo é mais rico o que mais rapa:
Quem mais limpo se faz, tem mais carepa;
Com sua língua, ao nobre o vil decepa:
O velhaco maior sempre tem capa.
Mostra o patife da nobreza o mapa:
Quem tem mão de agarrar, ligeiro trepa;
Quem menos falar pode, mais increpa:
Quem dinheiro tiver, pode ser Papa.
A flor baixa se inculca por tulipa;
Bengala hoje na mão, ontem garlopa,
Mais isento se mostra o que mais chupa.
Para a tropa do trapo vazo a tripa
E mais não igo, porque a Musa topa
Em apa, epa, ipa, opa, upa.

Publicações relacionadas

El Principito – XIX El Principito - XIX (Antoine de Saint-Exupéry) El principito subió a una alta...
Los Pocillos Los Pocillos (Mario Benedetti) Los pocillos eran seis: dos rojos, dos negr...
Reyerta Reyerta (Federico Garcia Lorca) En la mitad del barranco las navajas de Alba...
Lubricidade Lubricidade (Cruz e Souza) Quisera ser a serpe venenosa Que dá-te...

Deixe uma resposta