As cousas do mundo

Print Friendly, PDF & Email

As cousas do mundo (Gregório de Matos)

Neste mundo é mais rico o que mais rapa:
Quem mais limpo se faz, tem mais carepa;
Com sua língua, ao nobre o vil decepa:
O velhaco maior sempre tem capa.
Mostra o patife da nobreza o mapa:
Quem tem mão de agarrar, ligeiro trepa;
Quem menos falar pode, mais increpa:
Quem dinheiro tiver, pode ser Papa.
A flor baixa se inculca por tulipa;
Bengala hoje na mão, ontem garlopa,
Mais isento se mostra o que mais chupa.
Para a tropa do trapo vazo a tripa
E mais não igo, porque a Musa topa
Em apa, epa, ipa, opa, upa.

Publicações relacionadas

Farewell Farewell (Pablo Neruda) Desde el fondo de ti, y arrodillado, un niño tr...
Amor e Religião Amor e Religião (Augusto dos Anjos) Conheci-o: era um padre, um desses santos...
A um legista A um legista(Machado de Assis) Tu foges à cidade? Feliz amigo! Vão Contig...
O tonel do ódio O tonel do ódio (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Alvaro Reis O ...

Deixe uma resposta