Cidade

Print Friendly, PDF & Email

Cidade (Oswald de Andrade)

Foguetes pipocam o céu quando em quando
Há uma moça magra que entrou no cinema
Vestida pela última fita
Conversas no jardim onde crescem bancos
Sapos
Olha
A iluminação é de hulha branca
Mamães estão chamando
A orquestra rabecoa na mata.

Publicações relacionadas

A Noite A Noite (Augusto dos Anjos) A nebulosidade ameaçadora Tolda o éter, mancha a...
A muralha A muralha (Nicolás Guillén) “La ...
Aberração Aberração (Augusto dos Anjos) Na velhice automática e na infância, (Hoje, on...
Quando eu Quando eu (Alberto Caeiro) Quando eu não te tinha Amava a Natureza como um ...

Deixe uma resposta