Cidade

Print Friendly, PDF & Email

Cidade (Oswald de Andrade)

Foguetes pipocam o céu quando em quando
Há uma moça magra que entrou no cinema
Vestida pela última fita
Conversas no jardim onde crescem bancos
Sapos
Olha
A iluminação é de hulha branca
Mamães estão chamando
A orquestra rabecoa na mata.

Publicações relacionadas

Eu sou trezentos Eu sou trezentos (Mário de Andrade) Eu sou trezentos, sou trezentos-e-cincoen...
Natureza Íntima Natureza Íntima (Augusto dos Anjos) Ao filósofo Farias Brito Cansada de obse...
Os Peitos Os Peitos (Arnaldo Antunes) Mulheres têm dois peitos. Os homens têm ...
Quase um réquiem Quase um réquiem (Mario Benedetti) Do livro "...

Deixe uma resposta