Encontro de assombrar na catedral

Print Friendly, PDF & Email

Encontro de assombrar na catedral (Ana Cristina Cesar)

Frente a frente, derramando enfim todas as
palavras, dizemos, com os olhos, do silêncio que
não é mudez.
E não toma medo desta alta compadecida
passional, desta crueldade intensa que te
toma as duas mãos.

Publicações relacionadas

A velha izerguil A velha izerguil (Máximo Gorki) Ouvi estes relatos perto de Akkerman, na Bess...
Ricordanza della mia gioventú Ricordanza della mia gioventú (Augusto dos Anjos) A minha ama-de-leite Guilhe...
Dia Dia (Adélia Prado) As galinhas com susto abrem o bico e param daquele jeito ...
O frasco O frasco (Charles Pierre Baudelaire) ...

Deixe uma resposta