Idealização da Humanidade Futura

Print Friendly, PDF & Email

Idealização da Humanidade Futura (Augusto dos Anjos)

Rugia nos meus centros cerebrais
A multidão dos séculos futuros
— Homens que a herança de ímpetos impuros
Tornara étnicamente irracionais! —

Não sei que livro, em letras garrafais,
Meus olhos liam! No húmus dos monturos,
Realizavam-se os partos mais obscuros,
Dentre as genealogias animais!

Como quem esmigalha protozoários
Meti todos os dedos mercenários
Na consciência daquela multidão…

E, em vez de achar a luz que os Céus inflama,
Somente achei moléculas de lama
E a mosca alegre da putrefação!

Publicações relacionadas

Quero quero Quero quero (Manuel Bandeira) Quero a solidão dos píncaros A água da fonte e...
Confusão do festejo do entrudo... Confusão do festejo do entrudo (Gregório de Matos) Filhós, fatias, sonhos, ma...
A invenção de um modo A invenção de um modo (Adélia Prado) Entre paciência e fama quero as duas, ...
Poema tirado de uma notícia de... Poema tirado de uma notícia de jornal (Manuel Bandeira) João gostoso era carr...

Deixe uma resposta