Insânia de um Simples

Print Friendly, PDF & Email

Insânia de um Simples (Augusto dos Anjos)

Em cismas patológicas insanas,
É-me grato adstringir-me, na hierarquia
Das formas vivas, à categoria
Das organizações liliputianas;

Ser semelhante aos zoófitos e às lianas,
Ter o destino de uma larva fria,
Deixar enfim na cloaca mais sombria
Este feixe de células humanas!

E enquanto arremedando Eolo iracundo,
Na orgia heliogabálica do mundo,
Ganem todos os vícios de uma vez,

Apraz-me, adstricto ao triângulo mesquinho
De um delta humilde, apodrecer sozinho
No silêncio de minha pequenez!

Publicações relacionadas

A Geramano Meireles A Geramano Meireles (Antero de Quental) ...
Horas vivas Horas vivas (Machado de Assis) Noite: abrem-se as flores . . . Que esplend...
Cantada Cantada (Ferreira Gullar) Você é mais bonita que uma bola prateada De papel...
Arte de Amar Arte de Amar (Thiago de Mello Não faço poemas como quem chora, nem faço ver...

Deixe uma resposta