Nicolás Guillén

Mulata

Print Friendly, PDF & Email

Mulata (Nicolás Guillén)

De Motivos de Son

Ya yo em enteré, mulata,
mulata, ya sé que dise
que yo tengo la narise
como nudo de cobbata.

Y fíjate bien que tú
no ere tan adelantá,
poqque tu boca é bien grande,
y tu pasa, colorá.

Tanto tren con tu cueppo,
tanto tren;
tanto tren con tu boca,
tanto tren;
tanto tren con tu sojo,
tanto tren.

Si tú supiera, mulata,
la veddá:
que yo con mi negra tengo,
y no te quiero pa ná!

Publicações relacionadas

Mors — Amor Mors — Amor (Antero de Quental) Esse negro corcel, cujas passadas Escuto em ...
Um Renque de Árvores Um Renque de Árvores (Alberto Caeiro) ...
A alma do homem sob o socialis... A alma do homem sob o socialismo (Oscar Wilde) " A educação é uma coisa admir...
Quem se defende Quem se defende (Bertold Brecht) Quem se defende porque lhe tiram o ar Ao lh...

Deixe uma resposta