Ninho

Print Friendly, PDF & Email

Ninho (Federico Garcia Lorca)

Tradução de William Agel de Mello

O que é que guardo nestes
momentos de tristeza?
Ai! quem tala meus bosques
dourados e floridos!
Que leio no espelho
de prata comovida
que a aurora me oferece
sobre a água do rio?
Que grande olmo de idéia
se cortou em meu bosque?
que chuva de silêncio
me deixa estremecido?
Se meu amor deixei morto
na ribeira triste,
que sarçais me ocultam
algo recém-nascido?

Publicações relacionadas

Mater Originalis Mater Originalis (Augusto dos Anjos) Forma vermicular desconhecida Que estac...
Soneto de intimidade Soneto de intimidade (Vinicius de Moraes Nas tardes da fazenda há muito azul ...
Na Morte De Um Combatente Da P... Na Morte De Um Combatente Da Paz (Bertold Brecht) Á memória de Carl von Ossie...
Flor do mar Flor do mar (Augusto dos Anjos) És da origem do mar, vens do secreto, ...

Deixe uma resposta