Vladmir_Maiakowski

Nacos de Nuvem

Print Friendly, PDF & Email

Nacos de Nuvem (Vladmir Maiakowski)

No céu flutuavam trapos
de nuvem – quatro farrapos

do primeiro ao terceiro – gente
o quarto – um camelo errante.

A ele, levado pelo instinto,
no caminho junta-se um quinto.

Do seio azul do céu, pé-ante-
pé, se desgarra um elefante.

Um sexto salta – parece.
Susto: o grupo desaparece.

E em seu rasto agora se estafa
o sol – amarela girafa.

1917- 1918
(Tradução Augusto de Campos)

Publicações relacionadas

La lámpara en la tierra La lámpara en la tierra (Pablo Neruda) Amor América (1400) Antes de la p...
Ara maldita Ara maldita (Augusto dos Anjos) Como um’ave, cindindo os céus risonhos, Meig...
Puente Puente (Nicolás Guillén) De Odas Mínimas ¿Lejos? ...
Timidez Timidez (Cecília Meireles) Basta-me um pequeno gesto, feito de longe e de l...

Deixe uma resposta