Vladmir_Maiakowski

Nacos de Nuvem

Print Friendly, PDF & Email

Nacos de Nuvem (Vladmir Maiakowski)

No céu flutuavam trapos
de nuvem – quatro farrapos

do primeiro ao terceiro – gente
o quarto – um camelo errante.

A ele, levado pelo instinto,
no caminho junta-se um quinto.

Do seio azul do céu, pé-ante-
pé, se desgarra um elefante.

Um sexto salta – parece.
Susto: o grupo desaparece.

E em seu rasto agora se estafa
o sol – amarela girafa.

1917- 1918
(Tradução Augusto de Campos)

Publicações relacionadas

Antes do nome Antes do nome (Adélia Prado) Não me importa a palavra, esta corriqueira. Qu...
Os Pastores de Virgílio Os Pastores de Virgílio (Alberto Caeiro) ...
Abismo Abismo (Fernando Pessoa) Olho o Tejo, e de tal arte Que me esquece olhar ...
Inviation au Voyage Inviation au Voyage (Charles Pierre Baudelaire) Tradução de Felipe D’Olivei...

Deixe uma resposta