Não te salves

Print Friendly, PDF & Email

Não te salves (Mario Benedetti)

Não fiques parado
a beira do caminho,
não congeles o júbilo,
não queiras sem vontade,
não te salves agora
nem nunca
Não te salves

Não te enchas de calma,
não reserves do mundo,
apenas um rincão tranqüilo
não deixes cair as pálpebras
pesadas como juízos,
não fiques sem lábios,
não fiques sem sonhos,
não penses sem sangue,
não te julgues sem tempo.

Mas se
apesar de tudo,
não pode evitar;
e congelas o júbilo,
e queres sem vontade,
e te salvas agora,
e te enches de calma,
e reservas do mundo,
apenas um rincão tranqüilo,
e deixas cair as pálpebras
pesadas como juízos,
e te secas os lábios,
e dormes sem sonho,
e pensas sem sangue,
e te julgas sem tempo,
e ficas parado
à beira do caminho,
e te salvas;
então
não fiques comigo.

Publicações relacionadas

Adivinanzas Adivinanzas (Nicolás Guillén) De West Indies Ltd. ...
Manhã Manhã (Ferreira Gullar) As portas batem as toalhas voam o dia se esbaqueia ...
Meto-me para Dentro Meto-me para Dentro (Alberto Caeiro) ...
Quem se defende Quem se defende (Bertold Brecht) Quem se defende porque lhe tiram o ar Ao lh...

Deixe uma resposta