O impossível carinho

Print Friendly, PDF & Email

O impossível carinho (Mário de Andrade)

Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero apenas contar-te a minha ternura
Ah, se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor
Eu soubesse repor
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!

Publicações relacionadas

Hagamos un trato Hagamos un trato (Mario Benedetti) do livro ...
Costernados, raivosos Costernados, raivosos (Mario Benedetti) Do livr...
Já que me põem a tormento Já que me põem a tormento (Gregório de Matos) Já que me põem a tormento mur...
Uma folha às mãos dadas Uma folha às mãos dadas (Walt Whitman) Uma folha às mãos dadas! Vocês, pesso...

Deixe uma resposta