O impossível carinho

Print Friendly, PDF & Email

O impossível carinho (Mário de Andrade)

Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero apenas contar-te a minha ternura
Ah, se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor
Eu soubesse repor
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!

Publicações relacionadas

Adivinanzas Adivinanzas (Nicolás Guillén) De West Indies Ltd. ...
Ângelus Ângelus (Mario Benedetti) Do livro "Poemas do...
Começa a ir ser dia Começa a ir ser dia (Fernando Pessoa) Começa a ir ser dia, O céu negro come...
Gozo insatisfeito Gozo insatisfeito (Augusto dos Anjos) Entre o gozo que aspiro, e o sofrimento...

Deixe uma resposta