Ovos da páscoa

Print Friendly, PDF & Email

Ovos da páscoa (Adélia Prado)

O ovo não cabe em si, túrgido de promessa,
a natureza morta palpitante.
Branco tão frágil guarda um sol ocluso,
o que vai viver, espera.

Publicações relacionadas

Lágrimas Ocultas Lágrimas Ocultas (Florbela Espanca) Se me ponho a cismar em outras eras Em q...
Farewell Farewell (Pablo Neruda) Desde el fondo de ti, y arrodillado, un niño tr...
Mãe Mãe (Cora Coralina) Renovadora e reveladora do mundo A humanidade se renova...
Velho sobrado Velho sobrado (Cora Coralina) Um montão disforme. Taipas e pedras, abraçada...

Deixe uma resposta