Ovos da páscoa

Print Friendly, PDF & Email

Ovos da páscoa (Adélia Prado)

O ovo não cabe em si, túrgido de promessa,
a natureza morta palpitante.
Branco tão frágil guarda um sol ocluso,
o que vai viver, espera.

Publicações relacionadas

Por entre o Beberibe, e o Ocea... Por entre o Beberibe, e o Oceano (Gregório de Matos) Por entre o Beberibe, e...
A Um Gérmen A Um Gérmen (Augusto dos Anjos) Começaste a existir, geléia crua, E hás de c...
A Árvore da Serra A Árvore da Serra (Augusto dos Anjos) — As árvores, meu filho, não têm alma! ...
Ignoto Deo Ignoto Deo (Antero de Quental) Que belleza mortal se te assemelha, Ó sonhad...

Deixe uma resposta