Trégua

Print Friendly, PDF & Email

Trégua (Adélia Prado)

Hoje estou velha como quero ficar
Sem nenhuma estridência.
Dei os desejos todos por memória
e rasa xícara de chá.

Publicações relacionadas

A donzela e o fantasma –... A donzela e o fantasma - I (Oscar Wilde) CAPÍTULO I Quando mister Hiram B. O...
La cogida y la muerte La cogida y la muerte (Federico Garcia Lorca) La luna vino a la fragua con s...
País depois País depois (Mario Benedetti) Do livro "Perg...
Súplica Súplica (Florbela Espanca) Olha pra mim, amor, olha pra mim; Meus olhos anda...

Deixe uma resposta