Preceito 10

Print Friendly, PDF & Email

Preceito 10 (Gregório de Matos)

Graças a Deus que cheguei

a coroar meus delitos

com o décimo preceito,

no qual tenho delinqüido.

Desejo, que todos amem,

seja pobre, ou seja rico,

e se contentem com a sorte,

que têm, e estão possuindo.

Quero finalmente, que

todos, quantos têm ouvido,

pelas obras, que fizerem,

vão para o Céu direitinhos.

Publicações relacionadas

Elegia quase uma ode Elegia quase uma ode (Vinicius de Moraes I Choro. Choro atrozmente, como os...
Luminares Luminares (Charles Pierre Baudelaire) Tra...
O Corrupião O Corrupião (Augusto dos Anjos) Escaveirado corrupião idiota, Olha a atmosfe...
Dolências (Eu fui cadáver, ant... Dolências (Eu fui cadáver, antes de viver!) (Augusto dos Anjos) Eu fui cadáve...

Deixe uma resposta