Soledades I

Print Friendly, PDF & Email
Soledades I (Antonio Machado)

He andado muchos caminos, (Tenho andado muitos caminhos)
he abierto muchas veredas; (aberto muitas veredas;)
he navegado en cien mares, (navegado em cem mares,
y atracado en cien riberas. (atracado em cem portos.)

En todas partes he visto (Em todas as partes tenho visto)
caravanas de tristeza, (caravanas de tristeza,)
soberbios y melancólicos (soberbos e melancólicos)
borrachos de sombra negra, (bêbados de sombra negra,)

y pedantones al paño (e pedantes empedernidos)
que miran, callan, y piensan (que olham, calam, e pensam)
que saben, porque no beben (que sabem, porque não bebem)
el vino de las tabernas. (o vinho das tavernas)

Mala gente que camina (Gente ruim que caminha)
y va apestando la tierra… (e vai apestando a terra)

Y en todas partes he visto (E em todas as parte tenho visto)
gente que danzan o juegan, (pessoas que dançam e jogam, )
cuando pueden, y laboran (quando podem, e trabalham)
sus cuatro palmos de tierra. (seus quatro palmos de terra.)

Nunca, si llegan a un sitio, (Nunca, se chegam a um local,)
preguntan adónde llegan. (perguntam aonde chegam.)
Cuando caminan, cabalgan (Quando caminham, cavalgam)
a lomos de mula vieja, (no lombo de mula velha)

y no conocen la prisa (e não conhecem a pressa)
ni aun en los días de fiesta. (nem ainda nos dias de festa.)
Donde hay vino, beben vino; (Onde há vinho, bebem vinho)
donde no hay vino, agua fresca. (onde não há vinho, água fresca.)

Son buena gente que viven, (São boa gente que vivem)
laboran, pasan y sueñan, (trabalham, passam, e sonham, )
y en un día como tantos, (e em um dia como tantos)
descansan bajo la tierra. (descansam sob a terra.)

Publicações relacionadas

Minha terra tem palmares Minha terra tem palmares (Oswald de Andrade) Minha terra tem palmares Onde g...
Evocação do Recife Evocação do Recife (Manuel Bandeira) Recife Não a Veneza americana Não a Ma...
De uma vez por todas De uma vez por todas (Thiago de Mello Por Carlos Heitor Cony Todas de uma vez....
Veinte poemas de amor y una ca... Veinte poemas de amor y una canción desesperada - 08 (Pablo Neruda) Abeja bla...

Deixe uma resposta