A uma prostituta respeitosa

Print Friendly, PDF & Email

A uma prostituta respeitosa (Walt Whitman)

Tranquilize-se, fique à vontade comigo
– eu sou Walt Whitman,
generoso e pletórico como a Natureza!
Antes que o sol a rejeite,
eu não a rejeitarei;
antes que as águas se neguem
a rebrilhar para você
ou as folhagens a sussurrar por você,
minhas palavras não se negarão
a rebrilhar e a sussurrar por você.

Publicações relacionadas

Sensorial Sensorial (Adélia Prado) Obturação, é da amarela que eu ponho. Pimenta e ...
Brisa Brisa (Manuel Bandeira) Vamos viver no Nordeste, Anarina. Deixarei aqui meu...
Louvor a Unidade Louvor a Unidade (Augusto dos Anjos) Escafandros, arpões, sondas e agulhas D...
Poema do Milho Poema do Milho (Cora Coralina) Milho . .. Punhado plantado nos quintais. Ta...

Deixe uma resposta