A uma prostituta respeitosa

Print Friendly, PDF & Email

A uma prostituta respeitosa (Walt Whitman)

Tranquilize-se, fique à vontade comigo
– eu sou Walt Whitman,
generoso e pletórico como a Natureza!
Antes que o sol a rejeite,
eu não a rejeitarei;
antes que as águas se neguem
a rebrilhar para você
ou as folhagens a sussurrar por você,
minhas palavras não se negarão
a rebrilhar e a sussurrar por você.

Publicações relacionadas

Com licença poética Com licença poética (Adélia Prado) Quando nasci um anjo esbelto, desses que ...
O Lázaro da Pátria O Lázaro da Pátria (Augusto dos Anjos) Filho podre de antigos Goitacases, Em...
A morte de Rubén Darío A morte de Rubén Darío (Antonio Machado) Tradução Se era toda em teu verso...
Sinfonias do ocaso Sinfonias do ocaso (Augusto dos Anjos) Musselinosas como brumas diurnas ...

Deixe uma resposta