A uma prostituta respeitosa

Print Friendly, PDF & Email

A uma prostituta respeitosa (Walt Whitman)

Tranquilize-se, fique à vontade comigo
– eu sou Walt Whitman,
generoso e pletórico como a Natureza!
Antes que o sol a rejeite,
eu não a rejeitarei;
antes que as águas se neguem
a rebrilhar para você
ou as folhagens a sussurrar por você,
minhas palavras não se negarão
a rebrilhar e a sussurrar por você.

Publicações relacionadas

Subúrbia Subúrbia (Mario Benedetti) Do livro "Inventár...
Nacos de Nuvem Nacos de Nuvem (Vladmir Maiakowski) No céu flutuavam trapos de nuvem - quat...
A gleba me transfigura A gleba me transfigura (Cora Coralina) Sinto que sou abelha no seu artesanato...
À Cidade da Bahia À Cidade da Bahia (Gregório de Matos) Triste Bahia! Ó quão dessemelhante Est...

Deixe uma resposta