Zero

Print Friendly, PDF & Email

Zero (Mario Benedetti)

Do livro “Perguntas ao acaso”
Tradução de Julio Luís Gehlen

Meu saldo diminui a cada dia
que digo a cada dia
a cada minuto a cada
golfada de ar

mexo meus dedos como se pudessem
agarrar ou agarrar-me
mas meu saldo diminui

mexo meus olhos como se pudessem
entender ou entender-me
mas meu saldo diminui

mexo meus pés qual se pudessem
carregar ou carregar-me
mas meu saldo diminui

meu saldo diminui a cada dia
que digo a cada dia
a cada minuto a cada
golfada de ar

e tudo porque esse
cupincha da morte
o zero
está esperando.

Publicações relacionadas

O Meu Olhar O Meu Olhar (Alberto Caeiro) De O ...
Porquinho-da-Índia Porquinho-da-Índia (Manuel Bandeira) Quando eu tinha seis anos Ganhei um por...
André Chénier André Chénier (Augusto dos Anjos) Na real magnificência dos gigantes Grave c...
Os Astros Íntimos Os Astros Íntimos (Thiago de Mello Consulto a luz dos meus astros, cada qua...

Deixe uma resposta