Chichá-fedorento


Sterculia foetida


Nome popular: Chichá-fedorento
Nome científico: Sterculia foetida
Exigência por fertilidade:
Ciclo de vida:
Estrato:
Boa produtora de biomassa:
Alimento humano:
Atração de fauna e polinizadores:
Forrageira:
Potencial madeireiro:
Potencial Medicinal:
Potencial de renda e mercado:
Ocorrência predominante/ bioma indicado:


Nome científico: Sterculia foetida L.
Família: Sterculiaceae
Nomes populares: Chichá-fedorento, oliva-de-java, castanha-da-Índia.
Origem: Índia e Malásia.
Altura média: 20m

Sterculia foetida


Características morfológicas: As folhas caem na estação fria. As flores são unissexuais, avermelhadas, que exalam odor desagradável. Os frutos são lenhosos, avermelhados quando imaturos e marrom quando maduros, com 10-15 sementes. As sementes são elipsoide, 2cm de comprimento.
Cultivo: Por sementes, a muda cresce rapidamente
Período de florescimento e frutificação: No Rio de Janeiro floresce no mês de agosto e os frutos são encontrados o ano inteiro na árvore, sendo as sementes dispersadas aos poucos.

Utilidades econômicas: As sementes torradas são apreciadas como castanhas e apresentam grande quantidade de óleo.
Propriedades medicinais: É diurética, repelente de insetos, antifebril, depurativa, antiparasítica, anti-inflamatório, antifúngico, antibiótico, antiviral.
Características interessantes: O mau cheiro das flores desta espécie deu origem ao epíteto genérico Sterculia, dedicado a Stercus, deus pagão das imundices, bem como o epíteto específico foetida.
No Horto: Existem 6 indivíduos. Os frutos estavam presentes em todo o período de observação, mas as flores só surgiram em agosto.1


O Chichá-fedorento (Sterculia foetida), oliva-de-java ou castanha-da-Índia é uma árvore que chega a medir até 20 metros, da família das esterculiáceas, nativa de regiões tropicais da Índia e Malásia e introduzida no Brasil como planta ornamental. De tronco ereto, pouco ramificado, de casca acinzentada e superficialmente fissurada. Ramagem curta e horizontal, geralmente avermelhada, formando copa aberta.

Folhas alternas, compostas, digitadas, de 10–30 cm de comprimento, aglomeradas na extremidade dos ramos. Inflorescências simples ou ramificadas, com flores vermelho-escuras, mal-cheirosas, de cerca de 2 cm de comprimento, formadas em março-abril junto com o surgimento da nova folhagem. Frutos lenhosos, deiscentes, grandes, pendentes, ovalados, do tipo, cápsula, vermelhos, com cerca de 8 cm de diâmetro e geralmente solitários ou em grupos de 2-8, com 10-15 sementes de casca cinza, oblongas, de aproximadamente 2 cm de comprimento.

O nome do fruto, de nome xixá (não confundir com o nome da árvore, que é Chichá), termo Indígena, que significa “Fruto semelhante a mão ou punho fechado”.

(Sterculia foetida

Tal espécie possui folhas alternas, flores vermelhas que exalam odor de carne em decomposição, sementes comestíveis, das quais se extrai óleo, e casca e folhas com propriedades diuréticas. Também é conhecida pelos nomes de irói, nagui, naguim, puna, puna-bastarda, puna-macha, puna-vermelha e satirão.2


EXEMPLAR PLANTADO NO CÓRREGO:
Foto em 19/10/2019

Chichá-fedorento (Sterculia foetida)


Fonte:
1http://museunacional.ufrj.br/hortobotanico/arvoresearbustos/sterculiafoetida.html
2https://www.achetudoeregiao.com.br/arvores/chicha_fedorento.htm


Print Friendly, PDF & Email

1 pensou em “Chichá-fedorento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *