Embira-de-sapo

lonchocarpus cultratus


Nome popular: Embira-de-sapo
Nome científico: Lonchocarpus sp.
Exigência por fertilidade:
Ciclo de vida:
Estrato:
Boa produtora de biomassa:
Alimento humano:
Atração de fauna e polinizadores:
Forrageira:
Potencial madeireiro:
Potencial Medicinal:
Potencial de renda e mercado:
Ocorrência predominante/ bioma indicado:


lonchocarpus cultratus


Embira de Sapo
Leguminosae – Papilionoideae (Fabaceae)
Lonchocarpus guillemineanus (Tul.) Malme
Nomes Populares: Falso-Timbó, Embira-de-Sapo, Guaianã, Ingá-Bravo, Embira-de-Carrapato, Pau-de-Carrapato, Rabo-de-Macaco, Embira-de-Sapo-Miúdo, Pau-de-Canzil e Maracanã-da-Grande.
Ocorrência: Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo e Paraná, na floresta latifoliada semidecídua.
Morfologia: Altura de 10-18 m, com tronco de 40-50 cm de diâmetro. Folhas compostas imparipinadas, geralmente com 7 olíolos subcoriáceos, glabros, de 4-8 cm de comprimento por 2-4 cm de largura. Inflorescências em racemos axiliares.
Fenologia: Floresce em dezembro-janeiro. A maturação de seus frutos ocorre durante os meses de julho-agosto.
Informações Ecológicas: Planta semidecídua, heliófita, indiferente às condições físicas e químicas do solo, característica da floresta semidecídua. Apresenta dispersão irregular e, geralmente em baixa frequência. Ocorre principalmente em formações secundárias, sendo rara no interior da floresta primária densa.
Madeira: Moderadamente pesada, dura, compacta, suscetível de belo polimento, moderadamente resistente ao ataque de organismos xilófagos.
Informações Complementares: A madeira é empregada para obras internas em construção civil, para confecção de peças torneadas, etc. A árvore apresenta características ornamentais, principalmente pela forma piramidal de sua copa; pode ser empregada na arborização urbana em geral. Planta pioneira adaptada a terrenos pobres e secos, é recomendada para o plantio em áreas degradadas de preservação permanente.1


Nome Científico: Lonchocarpus guilleminianus
Família: Fabaceae
Características Morfológicas:Essa espécie mede, em média, de 10 a 18 metros. Seu tronco possui de 40 a 50 centímetros de diâmetro. As folhas são compostas e têm de 4 a 8 centímetros de comprimento. As flores, em cachos, vão do branco ao bege.
Origem: Brasil.
Ocorrência Natural:Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. É típica da floresta latifoliada semidecídua.
Saiba mais: Conhecida como falso-timbó, guaianã, ingá-bravo, embira-de-carrapato, pau-de-carrapato, rabo-de-macaco, pau-de-canzil, e maracanã-da-grande, essa árvore apresenta características ornamentais, sobretudo em função de sua copa piramidal.
É comum ser empregada na arborização urbana. Atinge 3,5 metros em 2 anos.
É indicada também para ser plantada em áreas degradadas de preservação permanente e se adapta bem à terrenos pobres e secos.A madeira, dura, pesada e compacta, costuma servir para obras internas da construção civil e peças torneadas.
A floração ocorre de dezembro a janeiro, e a maturação dos frutos entre julho e agosto.2


1

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [232.66 KB]


1https://www.sementesarbocenter.com.br/sementes-de-embira-de-sapo.html
2http://faunaeflora.terradagente.g1.globo.com/flora/arvores-palmeiras/NOT,0,0,1223956,Embira-de-sapo.aspx
1http://nossacasa.net/nossosriachos/agroecologia/manual-de-identificacao-de-mudas-de-especies-florestais/

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *