Ipê-de-jardim

Tecoma stans


Nome Científico: Tecoma stans
Nomes Populares: Ipê-de-jardim, Amarelinho, Bignônia-amarela, Carobinha, Guarã-guarã, Ipê-amarelo-de-jardim, Ipê-mirim, Ipêzinho-de-jardim, Sinos-amarelos
Família: Bignoniaceae
Categoria: Árvores, Árvores Ornamentais, Plantas Daninhas
Origem: América do Norte, América do Sul, Estados Unidos, México
Altura: 3.0 a 3.6 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene
O ipê-de-jardim é uma arvoreta bastante ramificada, que pode alcançar 4 a 6 metros de altura. Ele apresenta folhas compostas por folíolos ovais-lanceolados, sub-sésseis e de bordas serrilhadas. As inflorescências são terminais ou axilares, com muitas flores tubulares, amarelas, muito parecidas com as do Ipê-amarelo (Tabebuia spp). A floração é maior nos meses mais quentes, mas pode perdurar durante o outono. Os frutos são cápsulas glabras deiscentes, compridas e contém muitas sementes aladas.

No paisagismo é apropriada isolada ou em grupos, formando renques. No entanto sua utilização é controversa, pois apesar de ser muito ornamental é considerada uma perigosa planta invasora, capaz de inutilizar pastagens e prejudicar a regeneração de áreas degradadas. Isto se deve à sua grande capacidade de produzir sementes viáveis e ao seu rápido crescimento.1

O Ipê de Jardim é um arbusto, pertence à família Bignoniaceae, nativa da América do Norte, América do Sul e central, perene, muito ramificado, de até 6 metros de altura.
Folhas opostas, verdes brilhantes, compostas por folíolos ovais-lanceolados, sub-sésseis e de bordas serrilhadas. É perene em climas tropicais, mas decídua em lugares mais frios.
Inflorescências terminais ou axilares, com muitas flores tubulares, amarelas brilhantes. Surgem na primavera-verão, mas podem perdurar durante o outono e são visitadas por beija-flores.
Frutos são cápsulas glabras deiscentes, compridas e contém muitas sementes aladas.
Usada na decoração de jardins, isolada em meio a gramados, em conjunto formando renques e na arborização urbana.
Pode ser conduzido como arvoreta.
Cultivada a pleno sol, em solo fértil, rico em matéria orgânica, bem drenado, com regas regulares na primavera-verão e diminuindo no outono-inverno.
Aceita bem podas, inclusive as drásticas. Para ser conduzida como arvoreta é necessário fazer podas de formação, cortando brotações laterais, deixando apenas um tronco principal.
Multiplica-se por estaquia e por sementes, que devem ser plantadas tão logo sejam colhidas, pois logo perdem a capacidade de germinação.2

EXEMPLAR PLANTADO NO CÓRREGO:
Foto em


Fontes:
1https://www.jardineiro.net
2https://www.floresefolhagens.com.br


Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *