Tento-vermelho

Adenanthera Pavonina


Nome Científico: Adenanthera Pavonina
Família: Fabaceae
Nomes Populares: tento-vermelho, carolina, olho-de-dragão, olho-de-pombo…
Origem: Índia e Malásia.
Cultivo: Para que as sementes germinem, elas devem dispor de condições internas e externas favoráveis. Assim, a capacidade máxima de germinação pode ser influenciada por fatores ambientais, como temperatura e substrato. A árvore possui um crescimento rápido, sendo um bom dossel para plantas herbáceas, arbustivas e trepadeiras que não toleram altas intensidades luminosas
Confecção: As vagens delas secam e desperdiçam sementes vermelhas utilizadas na fabricação de colares, brincos e outras biojóias.
Curiosidade: Suas sementes são esféricas, vermelhas, em forma de contas de colar. Apesar de se encontrarem indivíduos em floração em todas as estações do ano, a maior intensidade ocorre no período de agosto a dezembro. Há frutos o ano todo, mas com maior intensidade entre os meses de maio a julho. A planta perde parcialmente suas folhas no período de maio a setembro.1


No Brasil, foi introduzida há muitos anos e encontra-se bastante adaptada e largamente distribuída em todos os estados da federação. Sua utilização estende-se desde fins ornamentais, arborização de ruas e praças, sombreamento, artesanato e fitoterápicos. É utilizada na Tailândia para reflorestamentos e como planta ornamental e forrageira.
‘Adenanthera pavonina’ é uma árvore de até 15 metros, da família das leguminosas, subfamília mimosoideae, popularmente chamada de olho de pavão, carolina, segavé, tento-carolina e falso sândalo[1]. Também é conhecida por manjelim. Tem folhas bipinadas, 3-6 pares de pina, alternas; foliólulos alternos, oblongos ou ovadas, flores pequenas amarelo-pálidas, favas estreitas e falcadas e sementes vermelhas, muito duras e lustrosas.

Adenanthera pavonina é originária do sudeste da Ásia, é naturalizada no Brasil, e especialmente cultivada para a exploração da madeira e propriedades medicinais das folhas, casca e sementes. É utilizada em reflorestamentos e como planta ornamental e forrageira. No Brasil, foi introduzida há muitos anos e encontra-se bastante adaptada e largamente distribuída em todos os estados.2


EXEMPLAR PLANTADO NO CÓRREGO:
Foto em


Fontes:
1https://www.facebook.com/komanib
2https://pt.wikipedia.org


Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *