Guaco

Mikania glomerata


Nome científico: Mikania glomerata Spreng.
Família: Asteraceae.
Sinônimos botânicos: Willoughbya glomerata (Spreng.) Kuntze.
Sub-espécie: Mikania glomerata var. montana Hassl.
Nomes populares: cipó-caatinga, cipó-catinga, cipó-sucuriju, coração-de-jesus, erva-de-cobra, erva-cobre, guaco-liso, guaco-de-cheiro, guaco-trepador, guaco-verdadeiro, guape, micânia, uaco; guaco (espanhol), guaco (francês), guaco (inglês), guaco (italiano).
Constituintes químicos: óleo essencial rico em: resinas, taninos, saponinas, guacosídio, diterpenos e sesquiterpenos (cineol, borneol e eugenol), substância amarga (guacina, cumarinas, guacosídeo), ácido caurenóico, ácido isobutiriloxi caurenóico, heterósida, ácido cinamoilgrandiflórico, ácido entkaur-16-eno-19-óico, ácido namoilgrandiflórico, ácido estigmast-22-en-3-ol, estigmasterol, flavonóides, esteróis.
Propriedades medicinais: antiasmática, antiespasmódica, antigripal, antiinflamatória, antimicrobiana, antinevrálgica, antiofídica, anti-reumática, anti-séptica das vias respiratórias, antitussígena, aromática, béquica, broncodilatadora, calmante, cicatrizante, conservante, depurativa, emoliente, estimulante, estomáquica, expectorante, febrífuga, hepatoprotetora, hipotensora (folhas frescas), peitoral, sedativa, sudorífera, tônica.
Indicações: ácido úrico, afecções do trato respiratório, albuminúria, ansiedade, artrite, asma, bronquite, contusões, coqueluche, dermatites, eczema pruriginoso, febre, ferimentos, gota, hemiplegia (paralisia de um lado do corpo), inflamação de garganta, inflamações intestinais, insônia, malária, manchas de pele, micoses, nevralgia, picada de insetos e cobras, pruridos, resfriado febril, reumatismo, rouquidão, sífilis, tosses rebeldes, úlceras.
Parte utilizada: folhas (preferencialmente as mais jovens.), planta florida frescas ou secas.
Contra-indicações/cuidados: devido às cumarinas, é contra-indicado para pessoas com hepatopatias (antagonista da vitamina K), trombocitopenia e coagulopatias. Contra indicada para pessoas que usam anticoagulantes ou heparina (aumenta o risco de sangramento). Não indicada para menores de um ano de idade e mulheres na menstruação. O uso excessivo pode causar taquicardia, vômitos e diarreia. Pode causar vômitos e diarreia se usado em excesso. Podem ocorrer acidentes hemorrágicos, quando usado em tempo prolongado.1.


Seu aroma é encantador, suas folhas em formato coração, é uma das minhas plantas de poder. Típica da Mata Atlântica, mas no sudeste, o Guaco é uma planta medicinal, também conhecida por ervas de serpentes, cipó-catinga ou erva de cobra, muito utilizada em problemas respiratórios devido ao seu efeito broncodilatador e expectorante. Mas uso seu chá para preparo de sucos ou suas folhas (com parcimônia) para aromatizar receitas, com um bouquet que me remete ao achocolatado.
O seu nome científico é Mikania glomerata Spreng e pode ser encontrado em cercas vivas, pergolados e trepando em árvores como amoreiras.
Propriedades do guaco: As propriedades do guaco incluem sua ação broncodilatadora, anti-séptica, expectorante, febrífuga, antiasmática, sudorífica, anti-reumática e cicatrizante.
Modo de uso do guaco: Para fins terapêuticos são usadas as folhas da planta ou xarope do guaco.
Chá para reumatismos ou inflamações: Ver receita básica abaixo.
Tinturas para reumatismo: A tintura pode ser feita deixando-se em infusão 100 gramas das folhas trituradas em 300 ml de álcool a 70° para ser usada externamente. Depois de filtrada, pode ser utilizada em fricções ou compressas locais.
RECEITAS:
– Chá básico: Colocar 10 g de folhas em 500 ml de água fervente por 10 minutos. Beber 2 xícaras de chá/dia.
– Chá com mel: combina as propriedades broncodilatadoras e expectorantes desta planta medicinal, com as propriedades anti-sépticas e calmantes do mel.
Ingredientes: 8 folhas de guaco; 1 colher de sopa de mel; 500 ml de água fervente.
Preparo: adicionar as folhas de guaco à água quase fervente, desligar o fogo, tampar e deixar repousar durante aproximadamente 15 minutos. Passado esse tempo, deve coar o chá e adicionar a colher de mel. É recomendado beber 3 a 4 colheres deste chá/dia, até que sejam observadas melhoras.
– Chá com Eucalipto: combina as propriedades do guaco, com as propriedades expectorantes e anti-inflamatórias do eucalipto.
Ingredientes: 1 mão de folhas frescas de guaco; 1 mão de folhas secas de Eucalipto; 1 litro de água fervente.
Preparo: adicionar o guaco e as folhas secas à água quase fervente, desligar o fogo, tampar e deixar repousar durante aproximadamente 15 minutos, coando antes de beber. Se necessário, este chá pode ser adoçado com mel, sendo recomendado beber 2 a 3 xícaras de chá/dia, conforme a necessidade.
Efeitos colaterais do guaco: Os efeitos colaterais do guaco incluem hemorragias, aumento dos batimentos cardíacos, vômitos e diarreia. O guaco contém cumarina que pode apresentar um agravamento nos quadros de falta de ar e tosse em pacientes com alergia a cumarina.
Contraindicações do guaco: O guaco está contraindicado para indivíduos com doenças no fígado, indivíduos que utilizam anticoagulantes e para crianças menores de 1 ano de idade.2/sup>.



EXEMPLAR PLANTADO NO CÓRREGO:
Foto em


Fontes:
1https://www.tudosobreplantas.com.br/
2https://www.docelimao.com.br


Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *