Aroeira-preta

Myracrodruon urundeuva


Nome popular: Aroeira-preta
Nome científico: Myracrodruon urundeuva
Exigência por fertilidade: alta
Ciclo de vida: perene
Estrato: alto
Boa produtora de biomassa: não
Alimento humano: não
Atração de fauna e polinizadores: sim
Forrageira: não
Potencial madeireiro: sim
Potencial Medicinal: sim
Potencial de renda e mercado: sim
Ocorrência predominante/ bioma indicado: Cerrado/Caatinga


Nomes populares: Aroeira, Aroeira-do-Sertão (CE), Aroeira-do-Campo, Aroeira-da-Serra, Urindeúva, Arindeúva, Arendiúva e Aroeira-Preta


A urundeúva (Myracrodruon urundeuva, classificada anteriormente como Astronium juglandifolium e Astronium urundeuva) é também conhecida como aroeira, aroeira-preta, aroeira-do-sertão, uriunduba, aroeira-do-campo e aroeira-da-serra. A partir do ano de 2019 a espécie saiu da lista vermelha de espécies ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais a qual é citada como Astronium urundeuva. No estado de São Paulo, no Brasil, ocorre em ecótonos com vegetação de cerrado na floresta estacional semidecidual do noroeste e na decidual de transição, estando na lista oficial das espécies ameaçadas naquele estado, na categoria VU (vulnerável). Suas flores são insignificantes, se reunindo em grandes inflorescências. Seu fruto é uma pequena noz, encimada por um cálice que se parece com um paraquedas.

É nativa da caatinga e do cerrado, desde o estado do Ceará até o estado do Paraná, no Brasil. Encontrada também na Argentina, Paraguai e Bolívia. Embora os dados sejam insuficientes, a urundeúva é superexplorada devido a sua madeira resistente e agrupamentos dessa árvore, que antigamente era dominante na caatinga, estão desaparecendo. A madeira da urundeúva contém tanino, é pardo-avermelhada, dura e imputrescível, própria para ser usada em obras externas[4], como dormentes de linhas férreas, postes e na construção civil.1.


Aroeira é excelente para nossas calçadas , porque realmente é uma bela árvore. É um espetacúlo quando está com seus frutos, boa opção para o paisagismo urbano.
Nome popular: Aroeira preta
Nome científico: Myracrodruon urundeuva
Família: Anacardiaceae
Origem: Desde o Ceará (caatinga) até o Paraná e Mato Grosso do Sul. É mais frequente no Nordeste do país, oeste dos estados da Bahia, Minas Gerais, São Paulo e sul dos estados de Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás.
Ciclo de vida: Perene
Folha: Folhagem é fortemente decídua na estação seca, quando a planta encontra-se em floração e frutificação.
Crescimento da planta: O porte da aroeira varia conforme a região de sua ocorrência (LORENZI, 1992; ANDRADE et al., 2000), podendo atingir 30 m de altura (RIZZINI, 1971). A espécie apresenta crescimento lento a moderado, atingindo produtividade máxima de até 5,50 m3/ha.ano. Estima-se uma rotação de 20 anos para obtenção de mourões
Frutos: a maturação dos frutos ocorre de setembro a outubro (LORENZI, 1992; ANDRADE et al., 2000). Seus frutos são do tipo drupa globosa ou ovóide, com cálice persistente, considerado um fruto-semente (FIGUEIRÔA et al., 2004). A semente é única (0,2 a 0,4 cm de diâmetro), globosa, desprovida de endosperma, com epicarpo castanho-escuro, mesocarpo castanho, carnoso, resinífero, com odor característico e tegumento membranáceo (MEDEIROS, 1996; ALMEIDA et al., 1998).
Flores: Floresce durante os meses de junho-julho. A floração ocorre na estação seca. As flores desta espécie são amareladas e não comestíveis. Floresce geralmente com a planta totalmente despida de sua folhagem.
Clima: Subtropical, Tropical
Poda: Necessário fazer podas de condução de galhos.
Local: Sol pleno.2


EXEMPLAR PLANTADO NO CÓRREGO:
Foto em


Fontes
1https://pt.wikipedia.org/wiki/Myracrodruon_urundeuva
2: https://www.sitiodamata.com.br/aroeira-preta-myracrodruon-urundeuva


Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.