Alfavacão

Ocimum gratissimum


Nome científico: Ocimum gratissimum L.
Família: Lamiaceae
Nomes Populares: Erva-cravo, alfavaca-cravo
Sinonímia: Geniosporum discolor Baker
Partes usadas: A planta toda.
Constituintes (princípios ativos, nutrientes, etc.): Cimen-8-ol, eugenol, timol, trans-cariofileno.
Propriedade terapêutica: Carminativo, sudorífico, diurético, antisséptico, bacteriostática, bactericida, fungicida, laxante.
Indicação terapêutica: Leishmaniose, infecções do trato respiratório superior, diarreia, desordem gastrointestinal, febre tifoide, dor de cabeça, doenças de pele e olhos, feridas, insolação, gripe, gonorreia.
Esta espécie é considerada Planta Alimentícia Não Convencional.
Nome em outros idiomas: Inglês: shrubby basil, east Indian basil, Russian basil Francês: menthe gabonaise
Origem: Planta originária do Oriente, subespontânea em todo o Brasil.
Descrição: Erva aromática, perene, pode atingir 1 a 3 m de altura. Tem caule ereto muito ramificado, glabroso ou pubescente. Folhas opostas, ovaladas, bordos dentados, variando de 4 a 8 cm de comprimento. Pecíolo de 2 a 4,5 cm de comprimento, esbelto, púbere. Inflorescência com flores pequenas de coloração roxo-esbranquiçada. Propaga-se principalmente por estacas retiradas do caule. É cultivada devido ao óleo essencial presente em suas folhas e caules.
Uso popular e medicinal: A planta possui aroma forte e agradável, é utilizada contra leishmaniose, infecções do trato respiratório superior, diarreia/antidiurese, desordem gastrointestinal, febre tifoide, dor de cabeça, doenças de pele e olhos. Na medicina caseira o chá serve como carminativo, sudorífico e diurético. A planta apresenta inúmeros compostos, sendo majoritário o eugenol. Espécies de Ocimum são classicamente fornecedoras de óleos essenciais, os quais são largamente utilizados em temperos de pratos especiais e como aromatizantes de licores e de perfumes finos.
Ocimum gratissimum apresenta a propriedade de conservante natural devido às substâncias encontradas em seu óleo essencial: cimen-8-ol, eugenol e trans-cariofileno. Vários autores descrevem a atividade antibacteriana do óleo essencial desta espécie como antisséptica no tratamento de feridas ou lesões com solução de continuidade. Esse óleo essencial foi testado frente a 14 diferentes bactérias originárias da Costa do Marfim e demostrou relevantes atividades bacteriostática e bactericida.
O eugenol apresenta uma série de atributos farmacológicos tais como agente aromático para alimentos, anticonvulsivo, anestésico, analgésico dentário, antibactericida e fungicida. Eugenol e, em menor grau, timol extraídos do óleo são substitutos dos óleos de cravo e de tomilho.
Na Indonésia (Sumatra) fazem um chá das folhas, enquanto na Tailândia as folhas são usadas como condimento.
Na Indonésia, o eugenol é utilizado na lavagem cerimonial de cadáveres. Na Índia, onde é denominada “ram tulsi”, O. gratissimum é amplamente utilizada em cerimônias religiosas.
Na medicina tradicional da África e Índia, preparações de toda a planta são usadas ​​para melhorar a digestão gástrica e tratar insolação, dor de cabeça e gripe.
As sementes têm propriedades laxativas e são prescritas contra a gonorreia. O óleo essencial é aplicado contra a febre, inflamações da garganta, ouvidos ou olhos, dor de estômago, diarreia e doenças de pele.
Testado como antibiótico, o óleo é também ótimo repelente de insetos [2].
Um estudo científico comprovou o potencial do alfavacão como fonte de antioxidantes naturais. Segundo os autores, o extrato bruto e o óleo essencial obtido das folhas, avaliados pelo método do tiociananto férrico, mostraram ser capazes de retardar a oxidação do ácido linolêico. A substância ativa do extrato bruto, responsável pela atividade antioxidante, foi isolada, identificada e caracterizada como eugenol.

Referências:
Revista Brasileira de Plantas Medicinais (2009): Inibição e inativação in vitro de diferentes métodos de extração de O. gratissimum frente a bactérias de interesse em alimentos – Acesso em 14 de junho de 2015
Plant Resources of South-East Asia (PROSEA: Ocimum gratissimum – Acesso em 14 de junho de 2015
Food Science and Technology (Campinas, 2007): Estudo da atividade antioxidante do extrato e do óleo essencial obtidos das folhas de alfavaca Ocimum gratissimum – Acesso em 14 de junho de 2015
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA Pantanal, 2006): Enraizamento de estacas de alfavaca O. gratissimum
Imagem: Flora of Zimbabwe (Photografer: BT. Wursten) – Acesso em 14 de junho de 2015
The Plant List: Ocimum gratissimum – Acesso em 14 de junho de 20151.


Falar de manjericão é falar de uma das plantas mais fáceis de se cultivar numa horta. É fácil pegar muda “de galho”, desenvolve-se em qualquer solo e em qualquer clima, desde que não excessivamente úmido; e é um tempero coringa na cozinha.
Sexta é dia de pizza! Que tal fazer uma pizza de Marguerite? E se, ao invés de usar manjericão, usar sua prima, a Alfavaca!?
Também conhecida como alfavacão e alfavaca-cravo, essa erva super aromática originária da Ásia dá em forma de arbustos que se ramificam em ramos lenhosos apresentando inflorescências com muitas flores pequenas esbranquiçadas. Ela pode ser cultivada em hortas e jardins que pega bem fácil. Sua parte aproveitada é a folha, usada tanto fresca quanto desidratada, é conhecida por sabor e aromas intensos que cai muito bem em pratos que acompanham carnes, massas e sopas! Uma dica bacana é misturar algumas folhas ao extrato de tomate pra fazer aquele molho gostoso do macarrão 😉 Gostou? Além disso, pode ser feito chá para se tomar puro ou com leite, o qual tem propriedades terapêuticas. Contêm minerais (fósforo, ferro e cálcio) e ainda é rica em vitaminas A, C e do complexo B
Segue receitinha diferentona -> Tempurá de Alfavaca
Esquente o óleo (de soja ou outro de sua preferência) em uma panela funda. Enquanto ele aquece, misture bem em uma tigela: ½ copo de água gelada (para dar crocância), ½ copo de farinha de trigo e uma pitada de sal. Empane as folhas de alfavaca uma a uma na mistura e coloque as para fritar. Bom apetite!2.


EXEMPLAR PLANTADO NO CÓRREGO:
Foto em


Fontes:
1https://www.ppmac.org
2https://www.facebook.com/PancsUFF/posts/1831155323804047/

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *