Angico-de-espinhos

Piptadenia paniculata


Nome popular: Angico-de-espinhos
Nome científico: Piptadenia paniculata
Exigência por fertilidade:
Ciclo de vida:
Estrato:
Boa produtora de biomassa:
Alimento humano:
Atração de fauna e polinizadores:
Forrageira:
Potencial madeireiro:
Potencial Medicinal:
Potencial de renda e mercado:
Ocorrência predominante/ bioma indicado:


Família: Fabaceae (Leguminosae) Subfamília Mimosoideae.
Nome científico: Piptadenia paniculata Benth.
Sinonímia botânica: Piptadenia paniculata Bentham var. aculeata.
Nomes populares: angico-de-espinhos, angico-paniculata, cobi, unha-de-gato.
Origem do nome: Piptadenia vem do grego piptei; paniculata significa inflorescência em panícula (Burkart,1979).
DESCRIÇÃO DA ESPÉCIE
Árvore perenifólia, espécie secundária inicial. Paniculata significa inflorescência em panícula ( Burkart, 1979).Sua altura atinge até 15 m e seu diâmetro até 25 cm.
Folhas: compostas com 3 a 4 pares de pinas, com folíolo e ráquis medindo até 15 cm comprimento, com grossa glândula séssil, orbicular no final do pecíolo. Pinas com ráquis pubérulo no bordo superior, com 6 a 10 pares de folíolos (Klein,1982)

Piptadenia paniculata


Flores: brancas ou bege,pequenas sésseis, perfumadas, em espigas filiformes, reunidas em panículas apicais ou subapicais.
Fruto: legume não moniliforme de margens retas, achatados, com 10 a 20 cm de comprimento de coloração marrom (LIMA.1985).
Semente: achatada,elíptica-oval, sem asas, de cor castanha.
Floração: Janeiro/Fevereiro.
Frutificação: Maio/Junho.
Sistema sexual: hermafrodita.
Polinização: abelhas.
Dispersão: autocórica, barocórica, por gravidade, anemocórica pelo vento.
Apícola: fornece pólen e néctar em pequenas quantidades.
Utilização: tabuado carpintaria, obras externas, esteios, mourões, vigas e cabos de ferramentas.
Ocorrência: Bahia, Espirito Santo, Rio de janeiro,Paraná, Santa Catarina, São Paulo1

Piptadenia paniculata


2

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [399.11 KB]


1https://sites.unicentro.br/wp/manejoflorestal/12205-2/
2http://nossacasa.net/nossosriachos/agroecologia/manual-de-identificacao-de-mudas-de-especies-florestais/

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *