Boldo-do-chile

Peumus boldus


Nome Científico: Peumus boldus
Família: Monimiaceae
Nomes Populares: Boldo-do-Chile, Boldo Chileno, Boldo, Boldoa-fragrans, Boldo-verdadeiro e Boldu
Sinonímias:
O boldo-do-chile (Peumus boldus) é uma árvore que atinge de 12 a 15 metros de altura e pertence à família das Monimiaceae. É comumente confundido com o boldo-da-terra (Coleus barbatus ou Plectranthus barbatus), arbusto de propriedades medicinais semelhantes, mas com contra-indicações diferentes.
As propriedades fitoterápicas de suas folhas eram conhecidas das comunidades indígenas sul-americanas que habitavam os Andes chilenos, tornando-se conhecidas mundialmente a partir da colonização européia da América.
Uso medicinal: É uma planta medicinal utilizada principalmente por seu efeito espasmolítico, contra os distúrbios digestivos, podendo ser encontrada em infusão ou cápsula.
Empregado em casos de desconforto digestivo e do fígado, o seu princípio ativo é a boldina, um alcaloide, principal responsável pelas suas propriedades hepatoprotetoras e coleréticas.
O boldo traz benefícios principalmente para o fígado. Ajuda-o a trabalhar melhor e é ótimo para quem tem problemas frequentes ligados ao fígado, como dor de cabeça, suores frios e mal estar. O boldo, tomado antes das refeições ajuda na digestão e nas funções do aparelho digestor. É ótimo para quem tem intestino preso e ajuda a digerir gorduras. Esta planta não deve ser consumida por quem tem problemas inflamatórios nas vias biliares e no pâncreas, cálculos biliares e hepatite. O seu uso é contra indicado nos casos de gestação também, pois o boldo pode gerar problemas na formação do bebê, principalmente nos primeiros três meses1.


Peumus boldus


Todo mundo sabe: você está com o figado ruim, digestão difícil, dor de cabeça, corpo pesado? Tome um chazinho de boldo. É, mas tem boldo de todo tipo aqui no Brasil e hoje vamos falar do boldo-do-chile, o original.
O boldo-do-chile (Peumus boldus) é uma árvore de médio porte (15 metros em média podendo atingir até 30 metros em árvores com bastante idade), de crescimento lento e sempre verde, nativa da parte central do Chile onde se encontra em bosques mais próximos do mar e, cultivada também se encontra nas serras do sul do Peru e na Argentina. As comunidades indígenas sul-americanas usavam o boldo, o boldús, como também se chama por lá, tanto na culinária, aromatizante de bebidas, como por seus efeitos medicinais até hoje comprovados.
Outras plantas, com efeitos similares (para os malestares do fígado e vesícula) também são chamadas de boldo: assim temos o boldo-baiano ou alumã (Vernonia condensata, arbusto brasileiro muito usado pelos indígenas e caboclos), boldo-rasteiro (Plectranthus ornatus), boldo-miúdo (Plectranthus neochilus) e boldo-brasileiro de jardim ou tapete de Oxalá (Plectranthus barbatus), de folhas grandes, cheirosas, usado em banhos de descarrego e, com cuidado, em chás digestivos.

Para que não fique confuso, os boldos da espécie Plectranthus também têm o nome de Coleus – todos funcionam bem como descarregadores da vesícula biliar portanto, aliviam a digestão difícil porém, seu uso frequente pode causar, dentre outros males, dores gástricas pois suas folhas são irritantes.

Já o boldo-baiano, da espécie Vernonia condensata, não causa essa dificuldade sendo excelente como hepatoprotetor porém, não deve ser tomado como chá (a água quente não lhe faz bem) e sim como macerado frio (ou batido com gelo) de folhas frescas. Dizem os indígenas que aldeia que tem alemã, o povo não adoece – comem as folhas frescas, aqui e ali, e se protegem de diversos males.

As qualidades curativas do boldo-do-chile
O principal efeito do boldo-do-chile é o espasmolítico (reduz a motilidade da mucosa gastrointestinal) mas, também são significativas suas qualidades digestiva, colerética (que reduz o colesterol) e hepatoprotetora (no entanto, seu excesso é bastante prejudicial ao fígado) que é usada em infusão ou, modernamente, ingerida em capsulas de extrato seco (não recomendo este uso pois a folha seca do boldo-do-chile perde suas qualidades medicinais bastante rápido).

O principal princípio ativo do boldo-do-chile se chama boldina, um alcaloide que ajuda o fígado a trabalhar melhor e, portanto, reduz os sintomas de fígado pesado como as dores de cabeça, suores frios e peso gástrico.

Esta é uma planta recomendada para os processos inflamatórios da visas biliares e pâncreas e, com cuidado, também para os processos de formação de cálculos biliares e hepatite.

O boldo-do-chile também é recomendado em banhos de imersão, para descarregar o organismo de cansaços, tanto físicos quanto mentais. Seu aroma, bastante parecido com o da hortelã, é um “elevador do astral” e o seu banho de cheiro pode ajudar a quem está estressado, triste ou deprimido.

Como fazer e tomar o seu chá de boldo-do-chile
Quando tomado antes das refeições, o chá de boldo-do-chile prepara o nosso organismo para uma digestão mais fácil e, quando tomado após estas, ajuda no processo digestivo e eliminatório, facilitando a digestão de gorduras e o trânsito do bolo fecal.

As doses comumente indicadas fazem referência ao tamanho da mão de quem o toma – isso diferencia suficientemente o que cada pessoa pode tomar: um punhado (mão cheia) de folhas frescas, para cada litro de água fervente. Como se trata de uma infusão, então não ferva as folhas – deixe-as descansar na água, abafadas por 10 minutos. Não exceda as 3 xícaras de chá ao dia e busque, observando-se, a sua dose ideal.

Se for usar folhas secas (no Brasil não há outro jeito a não ser que você tenha um boldo-do-chile cultivado em sua casa), certifique-se de que são do mesmo ano (folhas secas, ou extrato, com mais de um ano não têm valor medicinal).

Contraindicações: Em caso de cálculos renais, o chá de boldo-do-chile é contraindicado assim como na gravidez (pesquisas indicam que pode ter efeito abortivo e teratogênico), assim como, também não é aconselhado seu uso em bebês.

O uso excessivo do chá de boldo-do-chile pode causar problemas hepáticos e variações significativas na composição do sangue humano (bilirrubina) assim como, interações medicamentosas (medicamentos para depressão, para coagulação do sangue, dentre outros).2.


Como o próprio nome já diz, o boldo-do-chile (Peumus boldus) é originário da região dos Andes, mais especificamente do Chile. Esta variedade de boldo contém fitoquímicos que podem ser diuréticos e que combatem infecções bacterianas no estômago!
Mas, além disso, segundo a especialista em chás afirma: “o boldo-do-chile em específico é ótimo pra cólicas e dores de cabeça“!
Características: Árvore; 12 a 15 metros de altura; Folhas verde-escuro brilhantes, arredondadas e pequenas; Flores Brancas.
Benefícios do Boldo-do-chile: Combate infecções no fígado; Possui propriedades diuréticas; Ajuda no tratamento das cólicas; Ajuda no tratamento da constipação estomacal; Combate dores no estômago; Combate a azia; Combate dores de cabeça causada por problemas no fígado.
Observações: Possui propriedades abortivas e pode provocar hemorragias internas. Quando usado por longos períodos pode causar irritações no trato intestinal.3.

Peumus boldus


EXEMPLAR PLANTADO NO CÓRREGO:
Foto em


Fontes:
1https://pt.wikipedia.org
2https://www.greenme.com.br
3https://bemdesaude.com

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *